Uzbequistão

Um número menor de relatos de violência foi registrado em comparação ao ano passado, mas isto pode ser devido ao medo que os cristãos têm de denunciar os incidentes
O Uzbequistão tem uma das ditaduras mais severas da Ásia Central. O regime fará todo o possível para permanecer no poder e todas as formas de oposição e desvios de suas normas serão atacados. O cristianismo é considerado como um fator estranho e desestabilizador. No topo disto, os ex-muçulmanos convertidos experimentam pressão adicional dentro do ambiente social e cultural.
As fontes de perseguição que afetam os cristãos no país são um regime de governo ditatorial e radical e o extremismo islâmico. Ainda assim, todos os cristãos no país enfrentam alguma forma de perseguição.
A perseguição é mais forte dentro da própria família, comunidade e igreja tradicional. A pressão sobre os ex-muçulmanos convertidos é especialmente grave na esfera privada e é exercida no ambiente social. Um número menor de relatos de violência foi registrado em comparação com o ano passado, mas pode ser devido ao medo que os cristãos têm de denunciar os incidentes.
A questão mais intrigante é: quem vai suceder o presidente Islam Karimov que está envelhecendo? Especialistas dizem que Karimov será sucedido por outro veterano comunista. Isto significa que, para os cristãos pouco (ou nada) vai mudar. Enquanto isso, os órgãos estaduais (polícia, serviços secretos, entre outros) continuarão a monitorar as atividades religiosas de várias formas, incomodando os cristãos em suas casas, ligando em seus telefones, se infiltrando em grupos e visitando cultos. Ataques a grupos de igrejas, confisco de materiais religiosos, interrogatórios e detenção de fiéis vão continuar. A pressão e a violência contra os ex-muçulmanos convertidos ao cristianismo vindo de familiares, amigos e da comunidade vai permanecer, se não aumentar.
A Portas Abertas fornece ajuda aos cristãos que são presos ou excluídos de suas famílias e comunidades, ou até mesmo privados de meios de subsistência e emprego por causa de sua fé em Cristo. Também é oferecida ajuda por meio de distribuição de literatura cristã, treinamento bíblico, formação de jovens e crianças e ajuda médica. Além da atuação dos Ministérios de Mulheres e de Presença.
“Eu sei que tenho que tomar uma decisão. América não é a minha terra prometida, é o Uzbequistão. Eu vou servir a Deus com a minha família, não importa o que o futuro traga.” Cristão perseguido Askar.


Bandeira: Uzbekistan
Região: Ásia Central
Líder: Islam Karimov
População: 30,24 milhões
Cristãos: *
Religião: Islamismo
Governo: República Presidencialista (Autoritário)

Última atualização em 13/01/2016
Fonte Portas Abertas

Nenhum comentário:

Postar um comentário