Maldivas

País é cercado de praias paradisíacas e visado internacionalmente para férias. Mas, infelizmente, viver lá só é possível para os muçulmanos
Durante anos, a República das Maldivas tem sido confrontada com graves problemas sociais, tais como o vício em drogas, casos de abuso sexual e altas taxas de divórcio, sem ser capaz de encontrar soluções.
O governo continua como o protetor do islã, que institui um conjunto de leis que basicamente proíbe um maldivo de se converter a religiões diferentes do islamismo, sob a pena de enfrentar duras consequências, incluindo a perda de cidadania. Oficialmente, não há cristãos nas Maldivas, os únicos cristãos são expatriados. A pena de morte foi introduzida como punição por assassinato, mesmo para crianças, e uma lei que proíbe o estupro foi vetada pelo presidente como "anti-islâmico".
Há um extenso controle social sobre todos os indivíduos e comunidades. Consequentemente, não há reuniões em igrejas ou prédios, e os poucos cristãos maldivos escondem sua fé com medo de serem descobertos. A perseguição por parte da família e da comunidade ainda é muito grande.
O nível de violência física não é alto. Sabendo das consequências de ser seguidora de Cristo, a igreja maldiva se reúne de forma subterrânea. A pressão, psicológica e moral, é praticada dentro de casa e na comunidade de forma tão eficaz, que nenhuma outra violência se faz necessária para parar o crescimento da comunidade cristã. Alguns cristãos secretos que foram descobertos tiveram de fugir para o exterior.
“’Jesus, dê-me forças para suportar tudo em seu nome’. Essa é minha oração diária. E por que não devo estar feliz? Eu encontrei a paz por meio de Jesus Cristo. Ele é real e eu acredito nele.” Cristão secreto maldivo.



Bandeira: Maldives
Região: Sul da Ásia
Líder: Mohamed Waheed
População: 345,2 milhões
Cristãos: *
Religião: Islamismo
Governo: República Presidencialista



Última atualização em 13/01/2016
Fonte Portas Abertas

Nenhum comentário:

Postar um comentário