Vietnã

ovos convertidos em algumas comunidades enfrentam discriminação, intimidação e pressão para renunciar sua fé
O Vietnã é um dos cinco países do mundo ainda governado por um partido comunista. Com minorias étnicas que compreendem entre 13% e 16,5% da população, o país é uma das sociedades mais etnicamente heterogêneas da região do Sudoeste da Ásia. Conflitos, bem como as diferenças étnicas, religiosas e sociais, foram sufocadas pela ideologia comunista, mas serviram para que o país se abrisse um pouco mais para o diálogo.
Nos últimos dois anos, o governo comunista reforçou o controle de liberdade de expressão e de reunião. A censura da mídia também tem aumentado, especialmente na Internet.
Estima-se que até dois terços de todos os cristãos vêm de contextos tribais. A pressão sobre os convertidos para que retornem à sua fé tradicional e participem de rituais é alta, principalmente da família e da comunidade. Como a minoria cristã está crescendo fortemente, o governo tenta acompanhar reuniões cristãs em igrejas no combate à sua crescente influência.
Autoridades exercem um alto nível de pressão sobre todos os cristãos. Em vários ataques, eles foram espancados e alguns tiveram que deixar seus lares e se esconder. Todas as atividades religiosas no país são acompanhadas de perto pelas autoridades. Para os cristãos se reunirem em um domingo, por exemplo, é necessário disponibilizar às autoridades a lista dos participantes, a programação e o local da reunião. Essa condição dificulta a distribuição de materiais, a realização de treinamentos e de trabalhos com crianças.
De acordo com o relatório da Organização dos Direitos Humanos, o governo vietnamita tem acirrado a perseguição contra os cristãos que vivem nas montanhas, alegando que eles usam a religião para incitar a população contra o governo. Além desses cristãos, muitos outros são constantemente vigiados e aqueles que se converteram recentemente ao cristianismo têm sido pressionados a voltar para sua antiga fé, valores e rituais.
Em nível internacional, o Relator Especial das Nações Unidas sobre Liberdade de Religião e de Crença foi impedido de viajar para certas regiões do país para atender minorias religiosas durante sua visita em 2014.
O governo anunciou que irá publicar uma versão revisada da lei nº 92 sobre religião e convidou cristãos para participar do processo de elaboração da mesma. Desde então, o governo continua controlando o processo, logo, não é de se esperar que as coisas vão mudar substancialmente, quando o assunto é registro ou construção de igrejas, por exemplo.
Treinamentos bíblicos são essenciais para responder a necessidade contínua de crescimento espiritual de cristãos e do número de igrejas. Por isso, a Portas Abertas tem apoiado projetos de assistência, de capacitação e de distribuição de materiais cristãos em idiomas de minorias étnicas, a fim de preparar a igreja a permanecer e resistir à perseguição.
"Depois que me batizei, comecei a participar de todas as atividades da igreja. Iniciei o curso de discipulado, ia à igreja aos domingos e servia de todas as maneiras que podia. Eu não conseguia parar de contar aos outros sobre Jesus. Logo meus parentes descobriram minha conversão e o que eu estava fazendo na igreja. Eles me confrontaram, me cercaram com um grande grupo e me espancaram. Disseram que eu era uma vergonha para a família. Fiquei machucado tanto por dentro quanto por fora, mas eu não poderia deixar Cristo, que me deu a vida." Huong (pseudônimo), cristão vietnamita.


Bandeira: Vietnam



Região: Sudoeste Asiático
Líder: Truong Tan Sang
População: 89,71 milhões
Cristãos: *
Religião: Budismo
Governo: República Socialista (PC)


Última atualização em 13/01/2016
Fonte Portas Abertas

Nenhum comentário:

Postar um comentário