Etiópia

A luta entre as diferentes denominações de cristãos está enfraquecendo a resposta conjunta dos cristãos contra a perseguição
A Etiópia tem uma longa história tanto com o cristianismo quanto com o islamismo, e com o tempo, ambas as religiões se envolveram nas tentativas de expandir sua esfera de influência. O país possui muitas tribos e elas não são necessariamente favoráveis ao cristianismo; em alguns lugares as regiões estão interligadas com o islã. O partido no poder bloqueou todos os canais para a liberdade de expressão e de reunião, e também tentou controlar todas as instituições religiosas em uma tentativa de conter desavenças.
Igrejas históricas e comunidades de protestantes não tradicionais são os que enfrentam maior perseguição, através do extremismo islâmico, diferentes denominações e defesa tribal. O efeito combinado desses fatores tem levado a um aumento gradual da pressão na perseguição. A violência ainda é alta. A perseguição aos cristãos protestantes continuará especialmente nas mãos de muçulmanos radicais e protecionistas denominacionais.
A Portas Abertas é ativa na Etiópia desde o final dos anos 80. Nosso trabalho está focado em equipar cristãos para as atividades do ministério - seja liderando uma congregação local, seja compartilhando o evangelho com outras pessoas ou ajudando os novos cristãos a crescer no conhecimento de Cristo. Ajudamos os cristãos a lidar com os resultados físicos e emocionais dos conflitos, preparando-os para a perseguição e oferecendo alívio. É oferecido também o apoio à subsistência e desenvolvimento de novos líderes por meio de formação teológica e discipulado.
"Eu fui curada da minha dor pelo poder das orações de pessoas que nem mesmo me conhecem, mas que são minha família em Cristo." Viúva etíope Chaltu (pseudônimo)


Bandeira: Ethiopia
Região: Leste da África

Líder: Mulatu Teshome Wirtu
População: 96,63 milhões
Cristãos: *
Religião: Cristianismo Ortodoxo 43,5%, Islamismo 33,9%
Governo: República Federativa



Última atualização em 13/01/2016
Fonte Portas Abertas

Nenhum comentário:

Postar um comentário