Iêmen

A perseguição à igreja  continua crescendo como resultado da guerra civil no país e da crescente  influência de muçulmanos radicais
Estimativas sugerem que há apenas algumas centenas de cristãos indígenas no Iêmen, e sua fé deve ser mantida em segredo. O islã é a religião oficial do Estado e a sharia é a base da lei. Por isso, deixar o islã e assumir outra fé é um crime. Evangelizar muçulmanos é uma prática ilegal, por isso a igreja cristã enfrenta grandes desafios para crescer.
Como o Iêmen é uma sociedade tribal e o islã faz parte da identidade das tribos iemenitas, os líderes tribais são podem impor punições para aqueles que desejam deixar a religião muçulmana, como casamentos forçados para mulheres, prisão domiciliar ou morte. O governo nacional se submete a essas lideranças e raramente intervém em conflitos que acontecem dentro de uma tribo, mesmo que os membros sejam fisicamente atacados ou presos.
O extremismo islâmico e a pressão da sociedade tribal são os grandes fatores de perseguição no país, atingindo principalmente cristãos estrangeiros e cristãos ex-muçulmanos. Os muçulmanos convertidos ao cristianismo não podem praticar abertamente a sua fé, já que podem sofrer graves consequências por isso. Cristãos estrangeiros têm relativa liberdade para praticar a fé desde que não seja em público, mas ainda precisam ser cautelosos em áreas controladas por extremistas islâmicos.
Assim como ocorre historicamente na Península Arábica, a Al-Qaeda controla grande parte da região e o grupo tem sequestrado e assassinado cristãos no Iêmen, sendo uma ameaça para eles.
Igrejas são proibidas no Iêmen. Muitas delas nos últimos anos foram danificadas, como resultado da guerra civil. Portanto, enquanto os cristãos expatriados só podem se reunir em suas casas, cristãos ex-muçulmanos não estão autorizados a ter seus próprios encontros, logo, precisam se encontrar em locais secretos.
Apesar da oposição de todos os lados, há relatos de que cada vez mais os iemenitas estão buscando e encontrando Jesus. A igreja precisa de oração para permanecer firme na fé em Jesus e este é o trabalho principal da Portas Abertas no Iêmen, para que Deus use sua igreja pequena e secreta como um instrumento do grande e imensurável amor de Deus e da paz de Cristo para esta nação turbulenta.




Bandeira: Yemen
Região: Oriente Médio
Líder: Abd Rabuh Mansur Hadi
População: 24,41 milhões
Cristãos: *
Religião: Islamismo
Governo: República com forma mista de governo


Última atualização em 13/01/2016
Fonte Portas Abertas

Nenhum comentário:

Postar um comentário