quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Perseguição Religiosa em 2016

        Classificação da Perseguição Religiosa em 2016


E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições. (2 Timóteo 3:12)




1. Coreia do Norte
2. Iraque
3. Eritreia
4. Afeganistão
5. Síria
6. Paquistão
7. Somália
8. Sudão
9. Irã
10. Líbia
11. Iêmen
12. Nigéria
13. Maldivas
14. Arábia Saudita
15. Uzbequistão
16. Quênia
17. Índia
18. Etiópia
19. Turcomenistão
20. Vietnã
21. Catar
22. Egito
23. Mianmar
24. Territórios Palestinos
25. Brunei
26. República Centro-Africana
27. Jordânia
28. Djibuti
29. Laos
30. Malásia
31. Tajiquistão
32. Tunísia
33. China
34. Azerbaijão
35. Bangladesh
36. Tanzânia
37. Argélia
38. Butão
39. Comores
40. México
41. Kuwait
42. Cazaquistão
43. Indonésia
44. Mali
44. Sri Lanka
45. Turquia
46. Colômbia
47. Emirados Árabes Unidos
48. Bahrein
48. Mauritânia
49. Níger
50. Omã

De acordo com o Artigo 18 da Declaração Universal de Direitos Humanos, de 1948, "Toda pessoa tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, isolada ou coletivamente, em público ou em particular". 
O ano de 2015 ficará marcado, sem sombra de dúvidas, como o Ano do Medo, devido à perseguição religiosa. O Estado Islâmico (EI) e grupos filiados tomou fronteiras de países, com ainda mais força e violência, como Líbia, Quênia, Egito. Tais ações culminaram em massacres aleatórios em Paris e em San Bernardino. Os governos estão mais preocupados do que nunca sobre os efeitos do extremismo islâmico que mais uma vez é, de longe, o principal fator de perseguição na Classificação de 2016 (35 dos 50 países tem o islamismo radical como a principal fonte de perseguição).
A situação do Iraque e Síria e dos países da África, como Somália, Quênia e Nigéria, faz com que refugiados (em sua maioria cristãos) pensem na hipótese de nunca mais voltarem às suas casas, o que apavora a Europa e outros continentes do Ocidente.
Porém, a mais triste notícia que a Portas Abertas traz de 2015 é que mais uma vez, como no ano anterior, a perseguição aos cristãos piorou em todos os continentes.
Este ano, mais violência e menos liberdade levaram dois novos países para a lista, além de manter a Coreia do Norte pelo 14º ano consecutivo em primeiro lugar e fez com que a Eritreia subisse vertiginosamente de 9º para o terceiro lugar entre os países mais hostis ao cristão.
A lista com o perfil e todas as informações sobre os países, você encontra aqui.


Novos na lista

48. Bahrein
O Bahrein tem o islã como religião oficial. Aos poucos, a lei islâmica é introduzida no país e restringe cristãos de testemunhar de Jesus livremente. Os cristãos representam 10% da população e são proibidos de evangelizar muçulmanos. Por sua localização, o país também enfrenta o avanço do extremismo islâmico na região.

49. Níger
O Níger é um dos países mais carentes da África, onde o extremismo islâmico é a principal fonte de perseguição. Próximo à Nigéria, os cristãos enfrentam a influência do grupo radical islâmico Boko Haram, assim como de grupos ligados à Al-Qaeda nos países vizinhos, Mali e Líbia. Igrejas foram atacadas e destruídas e cristãos foram ameaçados de sequestro e morte.

Fonte: Portas Abertas


Nenhum comentário:

Postar um comentário