terça-feira, 21 de janeiro de 2014

POR QUE O ESPÍRITO SANTO DE DEUS TRANSFORMA?

Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados;
Efésios 5:1
 
1. Imitando a Deus como filhos amados (v.1). A tradução literal de "imitadores" no original do Novo Testamento "ser como alguém". Neste mesmo versículo duas coisas se destacam: a paternidade de Deus, e sermos a sua filiação. Pelo milagre do novo nascimento, o Espírito Santo nos coloca dentro da família de Deus como filhos amados.
 
E andai em amor, como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave.
Efésios 5:2
 

2. Imitando o amor de Cristo (v.2). Temos aqui mais um imperativo divino para os seus: "Andai em amor". Esse imperativo deve motivar nossa regra de vida. "E se entregou a si mesmo por nós" é a expressão máxima do amor divino
 
Mas a fornicação, e toda a impureza ou avareza, nem ainda se nomeie entre vós, como convém a santos;
Nem torpezas, nem parvoíces, nem chocarrices, que não convêm; mas antes, ações de graças.
Porque bem sabeis isto: que nenhum devasso, ou impuro, ou avarento, o qual é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus.
Efésios 5:3-5
3. Repelindo as práticas carnais (vv.3-5). Paulo lembra algumas práticas carnais do velho homem como prostituição, impurezas, cobiça, torpezas, parvoíces, chocarrices. São práticas indignas e alheias ao "novo homem". Todas duramente condenadas na Bíblia. Um crente que ama ao Senhor Jesus foge dessas paixões e procura viver vitoriosamente assistido pelo Espírito Santo.
 
II. ATITUDES CRISTÃS CORRETAS
 
1. Ações de graças (v.4). A nossa salvação é razão suficiente para sermos sempre agradecidos a Deus. O testemunho da nossa fé perante o mundo pode ser expressado em "ações de graças". 
 
2. Consciência de perigo e do juízo (vv.5,6).. A Bíblia fala aqui dos perigos que ameaçam a nossa fé e, por isso, devemos ter todo o cuidado possível com aqueles pecados, porque nada impedirá o juízo de Deus sobre os que praticam tais pecados.
 
3. Andar como filhos da luz (vv.8-14). Há um enorme contraste entre os que vivem em trevas e os que vivem
na luz. Quem vive na incredulidade é "filho da desobediência" (v.6); quem segue a Jesus é "filho da luz" (v.8). Os
que andam na luz conhecem os perigos porque podem ver com olhos espirituais as ameaças. 
 
4. Agindo como sábios (vv.15-17). Cautela e prudência são qualidades indispensáveis na vida cotidiana do
crente. Na sabedoria espiritual está a capacidade que o Espírito dá ao crente para perceber coisas que o ímpio não
consegue ver nem sentir. O versículo 15 diz "não como néscios", isto é, agir com sensatez e responsabilidade. O
versículo 16 diz que devemos "remir o tempo", ou seja, devemos administrá-lo com sabedoria, aproveitando o
máximo dele. 
 
5. Procurar conhecer a vontade de Deus (v.17). O grande problema de muitos crentes em relação à vontade de
Deus é que eles têm conceitos errados acerca dela. Deus não é determinista ou fatalista, no sentido de que sua
vontade tem de acontecer custe o que custar, não importando o modo como ela se cumpre. Deus, de várias
maneiras, faz-nos conhecer a sua vontade, mas por nosso livre-arbítrio é possível evitá-la ou não cumpri-la. 
 
III. ENCHENDO-SE DO ESPÍRITO SANTO
Numa linguagem figurada a Bíblia mostra que o crente deve encher-se de Deus na sua vida. Trata-se de um
contraste entre a embriaguez com "vinho" e o "encher-se do Espírito". Na velha vida, a embriaguez é típica de
pessoas tristes, vazias, amarguradas. As coisas desse mundo apenas embriagam e produzem mal-estar. A vida
cristã tem outra forma de superar as dificuldades, que é o "encher-se do Espírito". A palavra "contenda", aqui,
abrange a idéia de licenciosidade e desenfreio.
 
1. Por que encher-se do Espírito? (v.18). O Espírito é o dom supremo de Deus à Igreja. Todos os outros dons
são ministrados através dEle. O Espírito é que dá vida ao corpo de Cristo. Sem Ele não há vida. Uma vez cheia do
Espírito a vida cristã se torna plena e o crente é habilitado a viver vitoriosamente. Se o encher-se de vinho conduz
o homem ao deboche e à degeneração, o encher-se do Espírito conduz o crente a ter uma vida vitoriosa (2Co
3.18).
 
2. As manifestações do Espírito no crente (v.19). A plenitude do Espírito na vida do crente o torna criativo,
porque a presença do Espírito nele produz o que está no v.19 "falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos
espirituais, cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração". "O versículo 19 fala de três tipos de louvor e
adoração que resultam duma vida cheia do Espírito Santo. O primeiro tipo fala de salmos, referindo-se aos salmos
de Davi, Asafe, Moisés, que contêm expressões proféticas acerca do Messias, etc. A palavra salmos aparece no
grego com o sentido de cânticos acompanhados por harpa ou outro instrumento musical. O segundo tipo fala de
hinos que eram cânticos de louvor a Deus, mas entoados espontaneamente, vindos do coração. O terceiro tipo de
louvor era com "cânticos espirituais". Esse tipo tem sido interpretado de duas maneiras. Alguns acham que são
aqueles cânticos poéticos regulares, previamente preparados para o louvor. Outros interpretam como sendo os
cânticos produzidos no interior do espírito do crente cheio do Espírito Santo. (...) Esses ‘cânticos espirituais’ são
os cânticos do nosso espírito interior louvando espontaneamente ao Senhor, sem a interferência da inteligência,
mas estritamente produzidos pelo Espírito Santo e ensinados ao espírito interior do crente." (Carta aos Efésios,
CPAD)
Percebe-se, aqui, que a música realmente sacra tem uma relação muito estrita com Deus. Esses "cânticos
espirituais" precisam ser reativados e renovados na vida devocional da igreja local. O Espírito habilita o crente a
este tipo de manifestação espiritual que edifica e fortalece a fé da Igreja.
 
3. Resultados da plenitude do Espírito (vv.20,21). Quando somos cheios do Espírito desenvolvemos um
"espírito de ações de graças". Ela é uma forma de demonstrar o nosso gozo espiritual. Quando estamos cheios do
Espírito não temos dificuldades para sujeitarmo-nos "uns aos outros no temor de Deus". Uma pessoa carnal não se
sujeita, mas quem está cheio do Espírito tem prazer em assim fazer, inclusive no sentido de contribuir, ajudar e
consolar.
 
Busquemos estar cheios do Espírito, vivendo e andando nEle. Assim, estaremos experimentando a plenitude
espiritual desejada por Deus para todos os crentes.
E saberemos qual a boa e agradável vontade do senhor
Deixando para traz os maus costumes
Deixando para traz uma religiosidade falsa
Ser cheio do espírito, além de sermos cheios do espírito santo, fazemos o que Deus quer , e não o que achamos que é certo..
E crescendo e sendo tranformado a cada dia pelo poder do Amor de Deus..
 
 
/paty zancheta
 
 
 https://www.facebook.com/pages/Soldados-de-Cristo-Brasil/281999648613976
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário