quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

ESTUDO - O LIVRO DE ISAÍAS ( PARTE 2 )


O livro de Isaías ante o Novo Testamento


Isaías profetizou sobre João Batista, como o que vai adiante do Messias ( Is 40: 3-5 , Mat 3: 1-3) . Seguem outras profecias messiânicas sobre a vida e ministério de Jesus Cristo:
- Encarnação e divindade (
Is 7.14; Mt 1.22,23 e Lc 1.34,35; Is 9.6,7; Lc 1.32,33; 2.11);

- Juventude (Is 7.15,16 e 11.1; Lc 3.23,32 e At 13.22,23);
- Missão (Is 11.2-5; 42.1-4; 60.1-3 e 61.1; Lc 4.17- 19,21);
- Obediência (Is 50.5; Hb 5.8);

- Mensagem e unção pelo Espírito (Is 11.2; 42.1; e 61.1; Mt  12.15-21);

- Milagres (Is 35.5,6; Mt 11.2-5);

  - Sofrimentos (Is 50.6; Mt 26.67 e 27.26,30; Is

53.4,5,11; At 8.28-33);

- Rejeição (Is 53.1-3; Lc 23.18; Jo 1.11 e 7.5);

- Humilhação (Is 52.14; Fp 2.7,8);

- Morte expiatória (Is 53.4-12; Rm 5.6);

- Ascensão (Is 52.13; ver Fp 2.9-11);

- Segunda vinda (Is 26.20,21; Jd v. 14; Is 61.2,3; 2Ts 1.5-12; Is 65.17-25).


As profecias de Isaías


As profecias de Isaías tem três aspectos diferentes, Israel, as Nações e sobre o Messias. O primeiro fica evidente nos capítulos 1-12, 14-35 e o terceiro entre os capítulos 40-66.
- Sobre Israel: que por motivos de seus pecados seria levada em cativeiro ia passar por uma destruição e angústias, mas um restante do povo seria salvo e estarei no reino do Messias, que há de ser na terra com o centro em Jerusalém, que esse reino seria universal e transpassaria qualquer glória anterior a ele. Muitas são as passagens que são referidas ao reino Messiânico.

-As predições contra Babilônia, Assíria, Filístia, Moabe, Síria, Egito, Dumá, Arábia e Tiro, tem sido maiormente cumpridas, mas ainda há aspectos de algumas profecias que não foram concluídas que serão depois da dispensação cristã, todas as nações são considerada por Deus como a gota de um balde (Is 40:15).
- Quando chegamos as profecias messiânicas encontramos fontes ricas sobre o ministério de Cristo, vida e morte mais do que qualquer outra parte das Escrituras Sagradas, pois é mais abundante em Isaías.

 O Messias é repetidamente prometido e predito: em 4.2 como o Renovo, e Fruto da Terra; em 7.14 como o Emanuel, nascido da virgem; em 9.6 como Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, e Príncipe da Paz; em 11.1 como “um Rebento1 do tronco de Jessé”; em 28.16 como a Pedra preciosa da esquina; em 32.1-2 como o Rei que reinará em justiça e como o homem que será escudo e abrigo da tempestade; em 42.1 como o Eleito Servo de Deus; em 42.6,7 como o Redentor de Israel e como uma Luz para iluminar os gentios; e em 61.1 vemos o ungido Mensageiro de Deus, enviado a pregar, sarar e libertar.
No livro de Isaías o sofrimento do Messias é mais claro do que qualquer livro do Antigo Testamento, isso fica claro nos capítulos 50,52 e 53. Tudo isso só devia ao fato de uma revelação dada pelo Espirito de Deus ao seu servo escolhido.


Profecias Messiânicas


A pregação de Isaías referiu se ao presente.
Achou ocasião e objetivo na situação dos seus dias, porém ia além do atual e do imediato até o futuro do propósito divino.
 O reino futuro é ligado com a vinda de um Libertador, um Rei da casa de Davi. Sua cidade será Sião, purificada e regenerada pelo juízo.  

 Nos seus primeiros discursos Isaías coloca uma breve profecia (Is 2: 2-4) talvez seja de Miquéias ou de outro profeta mais antigo, em que o destino de Sião é descrito, isso seria uma chamada de arrependimento.
As grandezas da profecia vê, se relacionada com as circunstancias do momento. Com a decadência espiritual de Israel que ao invés de converter as nações ao culto a Jeová, era pervertida por suas superstições, em vez das nações se renderem a Deus, ameaçam a Israel com sua destruição.


 Isaías repete a supremacia da profecia que prediz a supremacia espiritual de Sião e o estabelecimento da paz universal.


/Alef da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário